O tio do meu marido me chantageou!


Click to Download this video!

Nos meus primeiros anos de casada, meu marido sempre expressou a fantasia de ser corno. Neguei por alum tempo, mas cai na tentação do seu amigo Augusto, como já relatei aqui outra vez. Virei amante do Augusto.
Numa das vezes que fui com o Augusto a um motel, tive o azar de ser vista pelo tio do meu marido, quase na entrada. É claro que quando ele me viu num carro estranho, com um estranho próximo a um motel, deu um jeito de seguir e conferir. E não deu outra.
Tempos depois ele foi na nossa casa nos visitar e me disse que precisava falar comigo. Como meu marido estava em casa, disse que voltaria outro dia.
E não demorou muito e ele voltou, num dia que meu marido estava trabalhando. Chegou e disse: “Vim conversar com você”. Mandei entrar e ele lascou na hora. “Vi você entrando no motel (disse até o nome) com um rapaz”. Falou até a cor e modelo do carro. Fiquei vermelha, tenho certeza. Ele perguntou se ele era meu manate a muito tempo, se meu marido desconfiava, etc… Entendi tudo o que ele queria, e ele foi direto ao assunto. “Eu também quero ter minha chance com você, não vai me negar isso, vai?”. Tentei desconversar, explicar o inexplicável, mas não adiantou. Ele foi se chegando, colocando a mão na minha coxa e falando que ninguém iria saber disso. O que ele não sabia, é que meu marido sabia de tudo e concordava.
Deixei ele continuar e em pouco tempo ele estava em cima de mim, com a mão no meio das minhas pernas, dedilhando minha buceta. Ele era um coroa enxuto, com 45 ou 50 anos, mas em forma. Dali para a cama, foi um pulo, ele mesmo me levou e eu já sem resistência alguma, acompanhei. Me tirou a roupa, me deixando só de calcinha. Tirou toda a sua roupa e quando tirou a cueca, pude ver que ele era muito bem servido. Um cacetão enorme, talvez maior, pelo tesão e situação que estava. Me tirou a calcinha e caiu de boca na minha buceta. Chupou muito, me acabei na boca dele, gemendo muito, não tinha como não gemer de tesão. Depois montou sobre mim, próximo dos meus seios e fazendo uma espanhola, me dava aquele cacetão para chupar. Ele já estava molhado também, pude sentir o gostinho da porra dele, fazia me afogar quando enfiava fundo na minha garganta. Logo ele parou e veio para cima de mim, me abrindo as pernas e metendo com vontade aquele cacetão. Já na primeira metida, creio que dei mais uma gozada, era muito gostoso, ficou bombando alguns minutos e depois pediu para eu ficar de quatro. Pensei que ele iria querer meter atrás, mas não, ele queria era aproveitar e matar a vontade dele de foder minha boceta. Em poucos minutos ele gozou muito, me encheu de porra. Ficamos um tempo deitados, descansando agarradinhos e logo eu fui para o banho e mandei que ele fosse embora e que nunca mais tocasse no assunto, com ninguém. Ele concordou na hora, mas depois não cumpriu. Eu já imaginava isso. Depois de um tempo, contei tudo ao meu marido. Ele fez como se não tivesse gostado, mas mesmo assim adorou eu ter dado para o tio dele, mas pediu para eu ser mais cuidadosa com o Augusto. Claro que o Augusto, meu amante na época, não soube de nada.
Beijos a todos.
Carla Suzi – [email protected]

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,56 de 36 votos)
Loading...