O velho comeu a mim e meus amigos


Click to Download this video!
Autor

Oi gente, essa é a primeira vez que compartilho experiencias e por isso resolvi começar do princípio. Meu nome é Carlos, tenho 35 anos e hoje vou contar como foi minha iniciação. As descobertas se deram na época que eu tinha por volta de 8 anos, morava em um conjunto residencial onde havia muitas crianças da minha idade e alguns garotos mais velhos. As conversas eram sempre besteiras até que certo dia descobri nas coisas do meu avô uma revista pornô, eu não sabia muito bem do que se tratava mas aquelas fotos me fizeram sentir diferente, foi a primeira vez que tive uma ereção sentindo tesão, lembro que várias vezes ía na surdina olhar a revista sem que meus avós vissem. A coisa tomou forma quando mostrei a revista pra alguns amigos e todos ficamos super curiosos, e uma foto em especial aguçou nossa imaginação… na foto, um cara comia o cu de uma mulher de quatro, ressalto que o corpo feminino era novidade pra nós mas a posição e onde o cara tava metendo parecia fazer sentido, tanto que logo o Junior, nosso amigo mais atentado propôs de fazermos como na revista. Nós eramos três amigos nessa época e nossas brincadeiras se resumiam a encoxadas e em algumas vezes colocarmos nossos minúsculos pênis no rego um do outro e ficar sentindo o calor hora da bunda, hora do pênis. O legal de tudo isso era que dava um certo prazer, mas nada comparado a aparente sensação da mulher da revista.
Depois de um tempo, minha família mudou para um condomínio de apartamentos com vários blocos, lá fiz novas amizades e foi então que a coisa ficou mais picante, por mim, o rafael, um garoto meio gordinho, a ádria, uma magrinha loirinha e o rubens, o mais velho. Nós tínhamos 10 anos e rubens já tinha 14, era o líder da turma. Certa vez, ele nos contou que tinha visto a mãe transando com o namorado e claro todos nós ficamos eufóricos querendo ver, então certa vez, ele apareceu chamando a gente, apressado, dizendo que a mãe tava com o namorado no quarto. Corremos pro apartamento dele e pela fechadura dava pra ver aquela morena de quatro com a pica do namorado atolada na boceta, confesso que não dava pra ver em que buraco entrava mas na hora lembrei da revista do meu avô. Nós revezamos pra olhar durante quase meia hora e depois saímos de lá.
Aquela imagem não saiu da minha cabeça por dias, e num dia qualquer estávamos brincando de pique esconde e aconteceu de nos escondermos os 4 atrás da caixa dágua do condomínio. De onde estávamos dava pra ver o resto do condomínio sem sermos vistos pois era escuro, mas mesmo assim o rubens ordenou que cada um de nós olhássemos na surdina, apoiando o corpo na parede e inclinando pra não deixar aparecer outra parte do corpo. Um por um fizemos como ele disse e quando chegou minha vez, senti ele me encoxar, pude sentir o pau dele duríssimo pressionando minha bunda, naquela época eu não costumava usar cueca e naquela noite eu vestia um short de tactel. Fizemos esse rodízio de olhadas e sempre ele encoxava a gente, quando foi minha vez novamente, ele encostou em mim e pude sentir ele colocar o pau pra fora encaixando no meu rego por cima do short, o safado ainda me puxou pelo quadril apertando o pau na minha bunda e pegou no meu pau que tava mega duro. Foi estranho mas acabei gostando daquela sensação.
Quando saímos do esconderijo e teve outra rodada do pique esconde, ele me chamou e disse que ía se esconder comigo… me deu um medo e uma excitação mas fomos juntos pra um dos blocos onde não havia luz nas escadas, só a penumbra da luz que vinha de fora, subimos para o 3º andar, onde não morava ninguém. Lá ele me mandou olhar pela janela da escada, send que eu tinha que me inclinar novamente pra poder enxergar o local da brincadeira, quando inclinei o corpo ele logo encostou o pau em mim, roçando por cima do short, dava pra sentir ele ajeitando o pau tentando mirar no meu cu, mas o short impedia.
Foi então que ele meteu a mão por dentro do short pegando no meu pau e me punhetando e de repente senti ele abaixar meu short até o tornozelo, ele abaixou e começou a passar saliva com o dedo no meu cu…aquela sensação me fez tremer… ele passava a pontinha do dedo melada de saliva e cada vez mais ía empurrando, até que levantou, encaixou a cabeça do pau dele no meu cu e deu uma empurrada, entrou a cabeça e uma parte, ardeu muito e logo veio a dormência, logo ele metia com firmeza mas devagar, o pau dele não era muito grande e escapulia às vezes. Quando ele estava pegando ritmo e eu começando a sentir prazer, surgem das sombras o rafael e a ádria…
– pegamos vocês!!!!!
Quase enfartei, levantei meu short o mais rápido que pude mas eles viram o que a gente tava fazendo. Fizeram o maior barulho nas escadas e quando íamos descer, a porta de um apartamento se abre na nossa frente… outro susto.. dessa vez o silêncio tomou conta e morador ordenou…
– Entrem aqui todos vocês!! – tremi de medo, imaginava o homem contando pros meus pais a sacanagem que eu tava fazendo. Entramos e reconheci o coroa chamado Vicente que tinha uma padaria fora do condomínio.
– Eu vi vocês dois se pegando alí!!! – disse o velho apontando pra mim e pro rubens. – Vocês dois fazem também? – perguntou pro rafa e pra adria.
– não senhor! – respondeu a ádria, quase chorando!
– pois agora vão aprender!!!
O velho mandou o rafael e a ádria tirarem a roupa, de início eles ficaram parados mas o velho ameaçou contar pros pais. ádria começou a tirar a roupa, mostrando seus pequeninos seios e o rafa também ficou nu. Ele mandou os dois ficarem de quatro no sofá, pegou um pote de vaselina e besuntou os regos dos dois. Então ele chamou o rubens e mandou ele penetrar, primeiro o rafa e depois a ádria, ele assim o fez. Eu olhava tudo sem saber o que fazer, depois de vários minutos metendo nos dois ao comando do velho vicente, ele gozou no cuzinho da ádria.
Achei que tivesse acabado mas o pior ainda tava por vir, o velho abaixou a calça mostrando o pau muito maior que o do rubens, untou com a vaselina e começou a meter no rafa, a cabeça entrou com dificuldade e quando chegou na metade, começou a bombar firme e rápido, após alguns minutos ele me chamou, mandou eu ficar de quatro e repetiu o ritual… senti o pau daquele velho me rasgando e preenchendo meu reto, ao ponto de eu quase desmaiar… o velho então me segurou pelas ancas e começou a bombar, como eu era mais magro que o rafa, a penetração foi mais profunda, hoje me lembro da sensação e sei que senti o pau dele pressionando minha próstata, foi uma sensação indescritível quando os pelos pubianos dele encostarem na minha bunda e no meu saco, massageando meu reto totalmente preenchido naquele entra e sai firme e profundo.Em determinado momento, acho que ele cansou e sentou no sofá, me puxou pro colo dele e mandou eu sentar naquele cacete… Sentei enterrando o pau dele o mais fundo que podia no meu cu, ele então e segurou pela cintura e me fez cavalgar na rôla dele… foi então que tive meu primeiro orgasmo, com a vara do velho vicente enterrada no meu cu e ele me masturbando…
Depois que eu gozei, ele me deixou de lado e foi pra ádria que olhava tudo espantada… colocou ela em frango assado e foi empurrando no cu dela, ela era bem magrinha e aguentou boa parte do membro do velho, foi aí que vimos a bocetinha dela com poucos pelos castanhos… o velho metia no cu dela e massageava o clítoris, com o tempo ela fechou os olhos e começou a morder os lábios… o velho aumentou a velocidade das bombadas e gozou no reto dela, imediatamente ele tirou o pau e começou a chupar a boceta e o cu que escorria muita porra… ele a chupou até que ela gozasse na boca dele…

Depois de terminar de comer todos nós ele mandou que nos vestíssemos e fossemos embora. Ameaçou contar pros pais da gente sobre o troca-troca na escada se contássemos algo… o fato é que todos tínhamos gostado da situação, tanto que repetimos a dose entre nós mesmos e com o velho vicente, mas isso é assunto para próximos relatos!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,85 de 20 votos)
Loading...